Cachorro com barriga inchada: saiba como tratar

Um cachorro com barriga inchada nunca é um bom sinal. Esse sintoma pode indicar diferentes doenças, desde alguns problemas simples até casos mais complexos, que necessitam de intervenção imediata.

Por isso, é necessário estar atento a esse sintoma para saber quando correr para o veterinário mais próximo. Se você tem dúvidas sobre o que pode ser cachorro com a barriga inchada, continue lendo! Conversamos com uma médica-veterinária que tirou todas as dúvidas sobre o assunto.

 

Quais são as causas de cachorro com barriga inchada? 

Todo tutor se preocupa com a saúde do seu filho de quatro patas. Por isso, se você encontrou seu cachorro com barriga inchada, é normal que esteja preocupado. Nossos veterinários explicam que esse é um sintoma comum em diferentes doenças.

Problemas cardíacos, verminoses e hipoproteinemia são apenas algumas das causas para a barriga inchada”, afirmam. Assim, é necessário estar atento ao histórico do pet e buscar um profissional o mais rápido possível! De acordo com a especialista, a lista de causas para quando o cachorro fica com barriga inchada são:

  • Verminoses;
  • Tumores;
  • Obstrução por corpo estranho, quando o pet come algum objeto indevido;
  • Problemas hepáticos;
  • Torção gástrica (um evento no qual o estômago fica torcido);
  • Infecção intestinal;
  • Cardiopatias,
  • Erliquiose, um tipo de infecção que provoca a queda de plaquetas e à inflamação dos vasos sanguíneos e, como consequência, há o acúmulo de líquidos na barriga.

Somente um especialista poderá chegar ao diagnóstico preciso, através de exames e testes clínicos. Por isso, não hesite em buscar ajuda profissional em caso de algum desses sintomas!

Aliás, há outros sintomas além de cachorro com barriga inchada que não defeca que indicam quando o peludo está doente e precisa de ajuda. De acordo com a Dra. Heloísa, alguns sintomas que normalmente estão associados a cachorro de barriga inchada são:

  • Emagrecimento;
  • Vômitos;
  • Cansaço;
  • Perda de apetite;
  • Tosse;
  • Dificuldade para respirar;
  • Anemia,
  • Mucosas amareladas.

Os sintomas acima, geralmente, podem estar associados à barriga de cachorro inchada. Nossos médicos reforçam que, em alguns casos, a situação necessita de atendimento imediato.

A torção de estômago, por exemplo, é um quadro grave e que necessita atenção emergencial”, comentam. Assim, se você perceber alguns dos sintomas acima, procure um veterinário o mais rápido o possível!

 

O que fazer quando o cachorro está com a barriga inchada? 

Como esse quadro é comum a diversas situações, o melhor para saber o que fazer com cachorro com barriga inchada é não arriscar. A barriga inchada pode ser o sintoma de alguns graves problemas de saúde e, por isso, o ideal é buscar ajuda de um veterinário.

Devemos ter atenção às supostas “receitas milagrosas”, que prometem resolver o problema, como o uso de antigases para cachorro. Lembre-se que todo e qualquer tratamento deve ser aplicado somente sob a recomendação de um profissional!

 

Diagnóstico e tratamento

Quando o veterinário recebe um cachorro com barriga inchada e dura, o primeiro passo é descobrir qual a origem do problema. Para isso, o profissional pode realizar alguns testes clínicos.

O mais comum é realizar um exame de imagem, como o ultrassom, mas o exame de sangue também pode ser solicitado. Como o quadro pode ter muitas origens diferentes, o tratamento também pode ser variado.

Em caso de vermes, infecção ou inflamação, alguns medicamentos devem resolver o problema. Porém, em caso de obstrução por corpo estranho ou torção gástrica, pode ser necessário realizar uma cirurgia de emergência. Assim, não perca tempo e busque um veterinário imediatamente!

 

Como evitar o problema

Assim como outras doenças, a melhor forma de lidar com cachorro com barriga inchada é prevenindo o problema. Veja abaixo algumas recomendações que irão ajudar você a cuidar melhor do sistema digestivo do seu amigo:

  • Mantenha a carteira de vacinação e os vermífugos sempre em dia;
  • Ofereça sempre água abundante, fresca e limpa;
  • Se seu pet comer rápido demais, busque um comedouro especial que torne essa atividade mais demorada;
  • Evite exercícios após as refeições, eles podem causar a torção gástrica,
  • Ofereça apenas rações de qualidade.

Com os cuidados acima, seu pet estará com o bem-estar garantido! Lembre-se que nossos amigos muitas vezes não conseguem nos avisar que algo está errado com sua saúde. Por isso, cabe aos tutores ficarem atentos aos sinais e sintomas de possíveis doenças!